Início home Sobre home Pesquisas home índice home Colaboradores home Eventos home Buscar
s Fundamentos   Teses
  Design Industrial e Diversidade Cultural
 
No setor moveleiro, a diversidade cultural dos indivíduos e grupos sociais tem se manifestado também nos requisitos técnicos dos produtos, em aspectos como, por exemplo, tipos de materiais e acabamentos utilizados.

Na Europa, por exemplo, são consumidos muitos moveis fabricados em madeiras de reflorestamento, incluindo-se as de Pinus, enquanto que, “no Brasil, infelizmente, [essas madeiras] não são bem aceitas, até por erros de projeto [...], ferragens, dimensionamento, etc.”, relata Rodrigues (2001).

Na realidade, “o brasileiro não soube lidar” com a madeira de Pinus. Esta foi empregada com tecnologia inadequada no Brasil. Para se ter uma idéia, “a mesma cadeira que se fazia em Cerejeira e em Imbuia, os fabricantes leigos faziam em Pinus, com a mesma espessura. Então, é claro que quebrava! As ferragens também não eram adequadas... Então, ficou essa marca de que móveis em Pinus não prestam”, relata Trevisan (2001).

No Japão, a madeira de Pinus tem sido bastante utilizada em móveis (ver Figura 541).
FIGURA 541 -	ESCRIVANINHA EM PINUS, DA MUJI (JAPÃO, 2004)
FIGURA 541 - ESCRIVANINHA EM PINUS, DA MUJI (JAPÃO, 2004)
Até recentemente, o que se produzia no Brasil, em termos de materiais, não era suficiente para suprir a demanda interna, sendo necessário importar parte deles. Na parte de aglomerados, cerca de 60% eram vendidos pelas indústrias nacionais e 40% tinham que ser importados (TORRESAN, 2001).

Atualmente, a demanda interna já está sendo mais bem atendida, e começam a surgir novos tipos de materiais e acabamentos.

No entanto, a gama de materiais utilizados nos móveis do Brasil ainda é mais restrita, se comparada Europa, por exemplo. E esta limitação acaba afetando o design de móveis.
    Em nível europeu, isso [a gama de opções de materiais] é muito grande, e pode-se escolher o material para se fazer o móvel, e diferenciá-lo bem de outro. Inclusive, as fábricas de aglomerados fazem acabamentos especiais para certos volumes. Aqui, ainda não; [...] por mais que se tente fazer um móvel popular, a matéria-prima é a mesma... Então, sempre acaba sendo o mesmo móvel. Troca-se alguma coisa do visual, mas, em função de se ter a etiqueta de preço pendurada na loja, o que vale é a etiqueta de preço (TORRESAN, 2001). [sem grifo no original]

Nos Estados Unidos, o material mais utilizado em móveis de cozinha tem sido a madeira maciça, serrada (75%) (ABIMÓVEL / PROMÓVEL , 1999, p. 37). Já o uso da madeira aglomerada MDF tem sido bastante limitado (1%), concentrando-se em móveis de categorias inferiores 272▼ .

O MDF foi fabricado pela primeira vez na década de 1960, nos Estados Unidos. Em meados da década de 1970, começou a ser produzido na antiga Alemanha Oriental, e, em 1977, pela Espanha. No Brasil, O MDF começou a ser importado em 1988, e, em 1997, passou a ser produzido no país, onde, desde então, expandiu-se muito o seu uso273▼.

As madeiras mais apreciadas pelos norte-americanos, segundo pesquisa realizada em 1999 274▼, são: Cherry (cerejeira), Red Oak (carvalho vermelho), Pine (pinho), Hard Maple (maple duro), Mahogany (mogno) e White Oak (carvalho branco) (ver Figura 542).

Na Europa, costuma-se utilizar madeiras maciças, tais como as de nogueira e tília, por exemplo, em fachadas de móveis (ver Figura 543).
FIGURA 542 - FACHADAS DE MÓVEIS DE COZINHA DA MASCO CORP., CABINET GROUP, EM MADEIRAS DE: CHERRY (CEREJEIRA), RED OAK (CARVALHO VERMELHO), PINE (PINHO) E HARD MAPLE (MAPLE DURO) (EUA, 2004)

MÓVEIS DE COZINHA DA SCHMIDT, COM FACHADAS EM: 1) NOGUEIRA MACIÇA E 2) TILIA MACIÇA (FRANÇA, 2004)
FIGURA 543 -	MÓVEIS DE COZINHA DA SCHMIDT, COM FACHADAS EM: 1) NOGUEIRA MACIÇA E 2) TILIA MACIÇA (FRANÇA, 2004)
FIGURA 543 - MÓVEIS DE COZINHA DA SCHMIDT, COM FACHADAS EM: 1) NOGUEIRA MACIÇA E 2) TILIA MACIÇA (FRANÇA, 2004)


272▲ - Os móveis dos Estados Unidos podem ser agrupados em quatro categorias básicas: “promotional”, “good”, “better” e “best”. O MDF é aplicado em móveis das categorias “promotional” e “good” (ABIMÓVEL / PROMÓVEL, 1999, p. 92).

273▲ - BNDES / FINAME / BNDESPAR. MDF – Medium Density Fiberboard. Texto disponível em: <http://www.bndes.gov.br/conhecimento/setorial/is_g1_20.pdf> . Acesso em: 17 mar. 2004.

274▲ - Pesquisa realizada pela American Walnut Manufacturers Association, Appalachian Hardwood Manufacturers, Inc. e Hardwood Plywood & Veneer Association, publicada na Wood Unlimited News, 23 de abril de 1999 (In: ABIMÓVEL / PROMÓVEL, 1999, p. 93).

 capítulo anterior PÁGINA 01 próxima página  
Todos os direitos reservados - Copyright © Maristela Mitsuko Ono 2004 / 2007 / 2009.